quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Eu sofri violência obstétrica no parto da minha Maria! E agora, como esquecer o trauma para enfrentar tudo de novo?!

Essa história de parto humanizado é mesmo muito esclarecedora!!!
Podem me apedrejar, mas ainda tenho muito medo e insegurança quanto a ter meu bebê em casa, talvez pela cultura que já está entranhada nas mulheres do meu tempo, principalmente nas que moram em cidade grande.
Eu nasci em casa, com parteira... assim como minhas duas irmãs seguintes, só a caçula nasceu no hospital porque a madrinha Maria Balbina, já estava muito velhinha e minha mãe não confiava em mais ninguém.
Confesso que nunca me ocorreu de perguntar à minha mãe se teve alguma diferença!
A gestação da minha Maria, foi perfeita! Engordei o ideal, pressão ótima, tudo certinho... mas, nosso dilema foi justamente na hora do parto.
Era outro momento da minha vida, não era tão nova, porém, numa cidade estranha, com gente que eu mal conhecia...
Devido a um problema no meu plano de saúde (pela mudança de cidade, perdi a carência - fui enrolada por um corretor), fui parar num hospital público.. na Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, um lugar cheio de freiras por todos os lados... juro que optei em ir para lá, justamente por causa disso...
Minha bolsa estourou, 30 horas antes de Bel nascer... corri para o hospital!
Pois é, assim que pisei lá já me avisaram que não poderia comer mais nada e olha que nem tinha jantado naquele dia.
Foram momentos torturantes, primeiro porque ninguém te fala nada, as enfermeiras e médicos mal olham pra você e a água saindo...
Por volta de 14h do dia seguinte, comecei a sentir dores e com ela, a água que escorria já saía esverdeada... isso mesmo, meu bebê entrava em sofrimento, lembro-me que ouvi uma residente falar com o médico chefe,"dr., está saindo mecônio".. senti que ela estava preocupada comigo! Mas ele não fez nada, apenas orientou que me levassem para a sala de pré-parto! É isso mesmo, lá tinha uma sala, onde te largam sozinha, um lugar meio escuro e isolado, onde você pode gritar à vontade, ninguém vem te ver... A esta altura, a dor já era insuportável, não tive soro, nem ao menos alguém para trocar a minha roupa, (acreditem, eu estava com a roupa que vim de casa, inclusive o sutiã), hora ou outra, alguém entrava e via a tal da dilatação.. que acontecia muito devagar... tinha um relógio numa das paredes e vi que já eram 18h... já estava sofrendo com fortes dores desde às 14h, perdendo água e saindo mecônio e ninguém fez NADA. Nem ao menos a lavagem que dizem ser comum fazer, fizeram em mim... então já sabem né... pois é, foi humilhante! Na hora que eles viram que não tinha mais jeito, me levaram para outra sala, an-dan-do, o médico que a esta altura já era outro, o anterior me deixou lá jogada porque era final de plantão... o que assumiu o plantão, se recusou a fazer meu parto, pois eu estava muito suja e ele estava com nojo.. rsrs.. é, eu tive que ouvir isso!! Quem fez meu parto, foi uma residente...
Meu bebê nasceu com apgar 4... é tipo um 'termômetro' se o bebê nasceu bem ou não, onde 10 é quando o bebê nasce super bem.
Meu bebê nasceu sufocado, só chorou depois de alguns segundos, uma eternidade para mim! Então colocaram a carinha dela para eu ver, a imagem do rostinho dela, ahhh essa vai comigo para o túmulo né... nunca me esqueci!!!
A médica que terminou o meu parto, foi muito simpática, tentando me distrair enquanto dava os famigerados pontos...
O dilema não acabou, me levaram para a enfermaria e vi que os bebês iam chegando e nada do meu... perguntei a enfermeira, que apenas disse que ela viria em breve...
Adormeci...
Na manhã seguinte, fui tomar um banho... isso mesmo! Estava imunda... os bebês voltaram novamente e nada do meu...
Foi quando a enfermeira me disse que ela estava muito cansadinha por isso estava na encubadora, quase surtei... tive que caminhar até o berçário, um lugar distante uns 50m, imagina alguém toda cheia de pontos ter que caminhar tudo isso... meu bebê estava lá, não pude amamentá-la, meus seios explodiam, nem ao menos tentaram tirar o leite com a bombinha, deram chuquinha pra ela!! Perguntei à pediatra se ela ficaria bem, a resposta foi.. 'acredito que sim', de costas para mim! Depois disso, só me lembro de estar na cama da enfermaria, isso mesmo, desmaiei de tanto terror com aquela declaração.. quando acordei tinha uma 'psicóloga' para falar comigo, rsrs... GARGALHEI!! Só disse a ela o seguinte, NÃO PRECISO DE VOCÊ, QUERO O MEU BEBÊ!!! Ela saiu assustada...
No dia seguinte, ela já podia sair da encubadora, mas não do berçário, então eu tinha que ir caminhando até lá para vê-la, e pude então tê-la em meus braços..
Acha que acabou? Não....... Foi muito difícil fazê-la mamar no peito, pela minha falta de experiência e mal jeito, pelo fato de terem dado uma chuca pra ela mamar, ela não conseguia sugar, pela dor que eu sentia no próprio seio e ainda pelos pontos inflamados pelas caminhadas constantes até o berçário... me deram um banquinho de madeira para sentar.. rsrs..
Ficamos lá por cinco dias, meu bebê tomava duas injeções de antibióticos por dia  na perninha, por causa do mecônio que entrou em seus pulmões, o caroço na perninha dela, demorou alguns meses para desmanchar...
Quando saímos, alguns dias depois, voltei na médica do posto de saúde e contei todo o ocorrido, foi quando ela me disse que o meu caso era para cesária, logo na manhã seguinte à internação, minha placenta estava rota e isto fez com que meu bebê entrasse em sofrimento. Um tempo depois, também descobri que tinha um desvio na coluna, por conta de todo o tempo fazendo força sem necessidade.
Alguns meses depois, o SUS mandou um relatório, tipo pesquisa de opinião... eu relatei todo o ocorrido e vocês acham que aconteceu alguma coisa??? kkkkkkkkkkkkkkkk....

Minha Maria Isabel, princesa da mamãe, nunca teve sequelas, goza de uma saúde muito boa, com a graça de Deus!! Mamou até os dois anos de idade, porque eu fui perseverante naquele começo dramático e suportei a dor bravamente.

Desculpem-me pelo texto imenso, mas desde que descobri que estava grávida, isto tem sido um dilema para mim! Parto normal?! Nunca mais?! Não sei...
Hoje vivo outro momento, graças a Deus! O obstetra que me acompanha é muito bom e diante do relato acima, acha muito cedo para discutirmos como será o parto... no fundo, ele já sabe, mas tem me deixado bem à vontade para escolher, sei que na hora o que vai pesar mesmo serão as minhas condições e a do bebê e isso não tem preço para mim!

Segue o link de um blog fofo Adele Doula, que descobri esses dias e conta o relato de outras mães, que assim como eu, também sofreram violência obstétrica.


Euzinha, com um rapazinho de 21 semanas na barriga, que se chamará DON!


Obs.: revivendo tanta coisa ruim para escrever este post, me esqueci de dizer que quando meu bebê pode ir para a enfermaria ao meu encontro, a enfermeira me notificou para ter cuidado porque a clavícula dela tinha sido fraturada no parto.
A fragilidade era tamanha, a falta de informação e apoio também! Hoje vejo que deveria ter processado aquele hospital! Graças a Deus, o Ministério Público interditou aquele antro por outros motivos.

22 comentários:

  1. Ai, Miriam, li tudo e... quase chorei! É muito sofrimento pra um ser humano e, ainda mais, num momento tão especial da vida da gente. Vc tem toda a razão de estar traumatizada, isso não se faz nem com um animal! Até mesmo algumas cadelinhas tem toda a assistência hoje em dia. Isso que te aconteceu foi o fim! Mas pensa assim, agora é diferente, vc tem seu plano de saúde, um bom obstetra, mais esclarecimento e experiência. Com certeza vc vai poder fazer as melhoras escolhas.
    Normal ou cesária, vc tem direito à anestesia, esse sofrimento todo não vai mais te acontecer. Só fica sem anestesia, nos dias de hoje, que quer. Tem mulher que se prepara pra isso, quer sentir tudo. Não foi o meu caso, não sou tão corajosa assim. Mas, mesmo com anestesia, participei dos partos, fiz força, pude segurar meus filhos logo assim que nasceram e tive toda a assistência. Sem chance deles entrarem em sofrimento. Pensa assim, você conheceu o que há de pior na obstetrícia (infelizmente), agora você sabe muito bem o que não quer e o que não pode acontecer (de jeito nenhum!)! Mude tudo o que achar que deve mudar (porque ainda dá tempo) e fique tranquila com suas escolhas, VAI DAR TUDO CERTO! Estou torcendo muito mesmo por você, por esse momento que tem que ser tão especial. Você merece! Uma beijoca, paz no coração e conta comigo pra sua torcida!

    ResponderExcluir
  2. Realmente bem traumatico, vai serdiferente agora acredite, eu optei pela cesariana, mesmo não sendo o mais indicado, tinha medo que o bebe passasse da hora de nascer e foi tudo perfeito. bJÔ

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Miriam!!!
    Menina estou arrepiada de ver seu relato, fico tão revoltada com umas coisas assim que dá vontade nem sei do quê viu.....um acontecimento desse deveria ir pra mídia, quem sabe alguém toma providências, mas enfim graças a Deus passou e vc está firme e forte e com um bebê lindo já vindo e a princesinha Maria forte e saudável. Não pense que pode passar por todo aquele sofrimento, senão vc corre o risco de passar insegurança para o bebê e isso não é bom. Tenho certeza que agora vc será e terá umm parto muito feliz, para fazer esquecer o sofrimento enorme que traz no coração. Peça a Deus que te dê forças e coragem pq tudo correrá bem.
    Miriam queria te pedir uma coisa, sabe aquele link que a gente coloca na barra lateral para as pessoas se inscreverem e receberem suas postagens por email?? então coloca, assim fica mais fácil pra gente te visitar, pq eu não abro meu blog todos os dias por falta de tempo, mas o email fica o dia todo aberto no meu trabalho. Vi que perdi muitas postagens lindas que vc fez. Se vc colocar o link por favor me avise para que eu possa me inscrever.
    Passa no meu cantinho pra ver o meu netinho..
    bjos e fique com Deus,
    Marlene

    ResponderExcluir
  4. OI Miriam estou revoltada com o que te aconteceu...Sei que é dificil mas tenta não ficar lembrando mais disso...Vai tudo dar certo...Estaremos orando por você...Beijinhos
    http://meusamoresvariedades.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Deus abencoe vc e Don, creia que o melhor ele tem pra vcs porq ele é fiel primeira vez q comento no seu blog mais a muito tempo a sigo,amo suas postagens,sabe quando agente gosta de alguem mesmo sem conhecer? Deus abencoe vcs grandemente

    ResponderExcluir
  7. Deus abencoe vc e Don,e creia que vai dar tudo certo porq nosso Deus ë fiel e quer o melhor pra vc

    ResponderExcluir
  8. Meu Deus Miriam lendo seu relato parecia que estava lendo um livro de terror como podem tratar uma mulher assim num dos dias mais especiais da sua vida, graças a Deus que ela não teve nenhuma sequela.
    O nascimento do Don vai ser diferente com certeza, e parabéns pelo nome é lindo.

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Nossa, que situação Mi... compreendo seu medo e acho super normal. Acredito que vc já tenha relatado isso à sua médica e tenho certeza que ela terá todo o carinho e cuidado contigo. Mas, minha querida, nada acontece por acaso, agora com a chegada do Don será a hora de vc tirar esse trauma, viverá esse momento com muita emoção e carinho. Deus escreve certo por linhas tortas, curta cada momento e cada instante. Vc merece viver esse instante com toda a intensidade, tenho certeza disso. Ainda bem que sua filha não ficou com nenhuma lesão. E seu coração estará curado, bem breve!!!! No que precisar estamos aqui. Beijocas e tenha certeza de que tudo sairá bem. Acredite!

    ResponderExcluir
  10. Vai de cesareana, é tão bom!!! Pelo menos a minha foi super sossegada (não tinha dilatação e o tempo já estava passando). A recuperação, na boa.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. É... Não é esse tipo de parto que apoiamos quando defendemos o parto normal. Você foi vítima de violência obstétrica das bravas! Violência obstétrica inclui o tratamento desrespeitoso, o excesso de intervenções desnecessárias e a falta de acesso às intervenções, quando necessárias. No seu caso, com mecônio espesso, verde escuro e denso, era uma indicação de cesariana, ou pelo menos de uma monitorização muito cuidadosa (o que não foi o caso).
    Sinto dizer mas, se seu obstetra atual não fala de parto com você ainda, você com mais de 20 semanas de gestação, então provavelmente não vai ter parto, vai ser cesária. Para ter um parto humanizado, respeitoso, o tipo de parto que DEVERIA estar à disposição de todas as mulheres mas ainda não está, é necessário se planejar e encontrar um obstetra comprovadamente a favor, não apenas do parto normal, mas do parto normal baseado em evidências científicas atuais. Esses profissionais são poucos, não atuam pelos planos de saúde, e é preciso ir atras de indicações, relatos, entupir o profissional de perguntas para ter certeza que você não será desrespeitada na hora P.
    Eu ainda acredito no parto normal, ainda confio que é a melhor escolha para mulheres saudáveis, mas deve ocorrer em um ambiente de respeito e carinho, não em uma linha de produção ou no descaso total.
    Espero que sua próxima experiência seja muito melhor, qualquer que seja a sua escolha. Só espero que você não opte pela cesariana apenas para escapar deste tipo de parto violento, pois existe uma terceira alternativa. É possível, sim, parir com respeito ao seu tempo, ao seu corpo, ao seus direitos, aos seus desejos.
    Um grande abraço, e obrigada por seu comentário no meu Blog!

    ResponderExcluir
  12. Miriam,
    Entendo como se sente, tb passei por situação desse tipo em hospital público considerado de referência para casos de alto risco. Mas Deus não nos abandona, veja que sua filha se manteve perfeita, vocês são vitoriosas! Na verdade, esses abusos ocorrem com enorme frequência e é importante denunciarmos, pois um dia isso há de ser corrigido, não podemos desistir de cobrar nosso direito a um parto digno para nossos filhos.
    Nada disso vai acontecer novamente, agora vc já está preparada e amparada por um médico que te ouve e tranquiliza. Vai dar tudo certo e Don chegará super bem! Sobre o tipo de parto concordo contigo, deve ser o que for mais adequado para o seu neném e vc no momento. O meu primeiro foi normal, não tive nenhuma dificuldade depois, eu faria de novo, mas meu segundo filho entrou em sofrimento, estava muito fraco e não suportaria, então precisamos da cesárea urgente. Foi a solução, mas detestei, demorei muito a me recuperar, tb não tive repouso pq meu filho ficou 39 dias em UTI, então foi ruim. Hoje está tudo muito bem, graças a Deus.
    Pense sempre de modo positivo e confiante, seu baby nascerá lindamente. Felicidades!

    ResponderExcluir
  13. Míriam, parto normal é aquele que você acha que é, parto humanizado é aquele que vai te proporcionar conforto emocional, segurança e tranquilidade. Não é um parto que define a sua maternidade, seu filho não será menos amado ou resolvido na vida porque nasceu de uma cesariana. Não há dignidade num parto em que a mulher foi forçada a fazer ou não fazer o que queria. Graças a Deus hoje você tem outra condição e pode realmente optar pelo que achar melhor. Tenha uma ótima gestação e um parto tranuilo e seguro para você e seu bebê.

    ResponderExcluir
  14. Olá , pois é falar em parto natural no Brasil não é facil mesmo ,e pensar que isso acontece todos os dias ainda,é um absurdo.Mais eu acho que você não deve pensar mais nisso, graças a Deus a sua filha goza de uma saúde perfeita , e agora é outro momento de sua vida e vai dar tudo certo.bjs

    ResponderExcluir
  15. Miriam, só agora pude ler com calma o seu relato! O momento do parto, do nascimento do nosso filho tão esperado, jamais deveria trazer lembranças tristes e traumatizantes como estas. Foi muito triste ir lendo, mas imagina você que viveu tudo isso, com certeza foi pior.
    Aqui na minha cidade também tem Santa Casa e eu literalmente FUJO dela. Já ouvi relatos assustadores de quem tem seus bebês lá e graças a Deus, o nosso plano de saúde ajudou muito nessa hora. Fui ter os meus bebês na cidade vizinha e não poderia ter sido decisão melhor.
    Só agora, depois dessa história de renascimento do parto, parto humanizado e tal, que eu fui conhecendo outras histórias e vendo como a violência obstétrica acontece e muito. Uma coisa terrível que muitas vivenciam!
    Eu não sofri isso e por isso talvez eu seja tão defensora do parto normal. Fica mais fácil entender o medo que algumas mulheres tem do parto normal depois de saber que pode passar por tudo isso.
    Mas cesária ou normal, espero que seja uma experiência feliz pra você. Claro que o parto normal é uma experiência intensa, dolorida e nada fácil, mas o seu lado simbólico é lindo demais para ser ignorado: você fez o seu bebê nascer!
    O importante é fazer o melhor para você e para o bebê, mas pense com carinho, afinal você mesma disse que hoje as coisas são diferentes. Quem sabe, guerreira como você foi e ainda é, você não encare um parto normal novamente e substitua todo esse sofrimento por novas e boas lembranças, já pensou?
    bjs

    ResponderExcluir
  16. OI Miriam,

    Que sofrimento, meu Deus! graças, que sua filhinha ficou bem! Eu não passei por isso, graças a Deus, correu tudo bem nas minhas duas cesarianas, quando tive a primeira filha que está agora com 19 anos, eu tinha 24 anos e não quis saber de parto normal, morria de medo, a minha médica, na época tentou me convencer até o final da gravidez e não conseguiu, mas depois do parto, me falou que mãe tem uma certa intuição, pois minha bebê não iria nascer de parto normal, pois o cordão umbilical estava circulando o seu pescoço. e na minha cesariana mais recente, da Kamilla que tem 4 anos, minha médica, nem cogitou normal pela minha idade, tinha acabado de completar 39 anos. O segundo parto ainda foi mais lindo que o primeiro, pois minha filha mais velha e minha irmã ficou no corredor e pode ver a irmã pelo vidro da sala de parto assim que ela nasceu e meu marido assistiu o parto e ficou ao lado o tempo todo, Portanto, tenha fé que vai dar tudo certo e dessa vez será diferente, amiga.
    Bjs no coração e fica com Deus

    ResponderExcluir
  17. Miriam minha querida, não se prenda num passado que lhe trás sofrimento, num momento tão belo de sua vida. Digo isso, pois também sofri com o parto do meu filho (não como você), mas te confesso que procuro não lembrar. Comigo foi um sofrimento emocional…
    Qdo descobri minha gravidez, procurei o médico que fez o parto que eu nasci como quem procura uma agulha no palheiro. Ele não aceitava plano de saúde, não tinha consultório (me atendia num posto de saúde super longe da minha casa e mega lotado), mas queria aquele médico, que na minha cabeça era uma sumidade. A gravidez foi tranquila, minha tristeza foi com o parto, pago e numa clínica particular, nada saiu como desejei. O médico não deixou meu marido assistir, me induziu a fazer uma cesárea com 1 mês de antecedência (parecia que ele precisava do dinheiro para o dia do parto e quando cheguei ao hospital foi logo perguntando se a grana estava lá), a clínica não permitia acompanhantes nos quartos (fiquei sozinha todo o tempo) e pra completar, me deu um remédio pra eu dormir durante a cesárea. Só me lembro da voz da anestesista me acalmando e dos azulejos verde água do centro cirúrgico. Não me lembro, do rostinho do meu filho, do seu choro, de querer saber se estava tudo bem, não lembro de nada. Quando acordei de madrugada sozinha no quarto, sem o bebê e sem conseguir me levantar sozinha, pirei pois chamava e não era ouvida por ninguém, minha voz não saia e aquilo me paralisava ainda mais. Hoje vejo que fiz uma escolha profissional errada, era nova e acreditei num profissional que foi ótimo para minha mãe, mas pra mim foi um fiasco.
    Desejo que o parto do Don, seja de sonhos.
    Fique com Deus e Maria.
    Um beijo
    Fernanda

    ResponderExcluir
  18. Olá,
    Conheci seu relato através da Lia Agio. Resolvi ler para comparar ao que eu passei, a diferença, graças a Deus, é que eu não cheguei a ter mecônio.Mas o resto foi tudo igual. Sei muito bem o que vc passou. Minha experiência foi tão traumatizante que só tive um único filho, não tive coragem de ter outro. Mas com fé em Deus com o Don vai ser tudo diferente. Que Nossa Senhora do Parto te dê uma "Boa Hora".

    ResponderExcluir
  19. Miriam, chorei lendo seu relato! Nossa nem dá para acreditar, parece filme né? E imagino tudo que passou!! Realmente fechar este hospital foi pouco, horrível!
    A notícia boa é sabe que você e sua filha estão bem hoje. Tenho certeza que este parto será totalmente diferente, acredite!
    Dá vergonha do país onde moramos quando leio este tipo de coisa.
    Desejo muitaaa felicidade a você e sua família... Que Deus abençoe sua vida sempre!
    Beijos :o))

    ResponderExcluir
  20. Miriam, se eu já tinha vergonha de ser brasileira, depois do seu relato eu queria ter qualquer outra nacionalidade, meu único consolo é saber que você e sua filhinha estão bem e felizes. Feliz 2014

    ResponderExcluir
  21. Sinto tanto por vc, passei a mesma coisa e hj estou grá vida de 36 semanas e morrendo de medo de ter a minha bb, sofri tanto q quando soube que estava grávida pensei em tirar minha própria vida.... um horror, tenho pressão muito alta e tomo 6 remédio por dia e qdo eu pedi pra médica uma cesariana ela riu e disse que era luxo e que meu parto seria normal e pronto. Eu tenho traumas horríveis , acordo durante á noite chorando muito de medo. ganhei meu filho com 20/11 de pressão alta, quase morremos e eles nem ligaram, disseram q me deram os remédios pra pressão baixar e eu não os engoli kkkkk eu mereço. qq dia se eu tiver coragem conto pra vc como foi o meu parto que de normal não teve nada , foi uma violência sem igual....Sinto muito mesmo e que Deus abênçoe a sua hora e do seu bb. :(

    ResponderExcluir
  22. Pro alguns relatos como o seu que logo escolhi cesariana, muitas me condenaram, mas acho que o medo deve ser respeitado e a opinião de cada um tbm!!! Lamento a situação pela qual passou, foi de chorar lendo, e com certeza tudo será diferente com Don, que venha tranquilo e cheio de saúde! !! Boa hora!!! Bjs mil...

    ResponderExcluir

Fico feliz quando você expressa sua opinião e respondo seu comentário, assim que possível!! Bjinhos